É puxar o ar que não vem porque o que vêm são utopias–Notas sobre a respiração em tempos de pandemia da COVID-19

Bann_Viviane2

Vivemos em tempo de sufocamento. E isto não é uma metáfora. O sufocamento social, econômico e político tem seu paralelo no corpo vivido e psíquico. Os efeitos em nossos corpos e em nossa sociedade da COVID-19 trazem o tema da respiração em sua urgência. Em específico, a respiração como um tema… Leer más

A educação como ferramenta de inclusão social de mulheres em vulnerabilidade social

Bann_Marques

O relato de uma experiência sobre um programa de educação na perspetiva de género foi o ponto de partida para uma reflexão sobre o contributo da educação como ferramenta para a inclusão de mulheres em situação de vulnerabilidade social. O programa Mulheres Sim, do Instituto Federal de Santa Catarina-Brasil é analisado a partir dos dados resultantes das ofertas de cursos do campus São Miguel do Oeste em 2017 e 2018, dirigidos a mulheres agricultoras brasileiras e usuárias do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), e imigrantes haitianas. Leer más

Ausencias y no presencias de adolescentes en la Ciudad de México

Bann_Rey

La discusión sobre el enfoque en el tipo de atención que el gobierno e instituciones como Capea prestan a la población conllevan a probablemente evaluar y replantear la búsqueda y localización de adolescentes como el centro de la política hacia la atención de adolescentes y familiares en el manejo de las relaciones familiares. Así mismo, evaluar la necesidad de crear mecanismos que obliguen a los denunciantes a acudir a programas específicos que conduzcan a evitar las re inserciones y lograr una re inserción armoniosa de los adolescentes a sus hogares. Leer más

Vivendo a indignação em uma prática pedagógica

B_Leandr

A série de fotografias mostra o processo de fabricação da ação, tanto da montagem das frases odiosas nos palitos, como das frases sementes. Todo esse processo aconteceu no segundo semestre de 2019, ao longo de quatro semanas, em um encontro semanal, sempre às quartas-feiras entre o meio da tarde e o começo da noite, no vão livre do Centro de Educação da Universidade. Devido aos rumos que a mobilização estudantil tomou, não chegamos a levar efetivamente para a rua nossa ação, mas, durante a seleção, produção e teste das frases, provocamos muitos deslocamentos em nós mesmos. Com que linguagem operar? Que frases de ódio já ouvimos por aí? Como pensar em uma frase semente que não reforce um estereótipo utilitário da instituição? Leer más